Duelo

Pára de olhar assim para mim.

Com esse sorriso malandro de quem tem gosto pela batalha.

Espada em riste dás os primeiros passos com ligeireza. Espadachim exímio na arte deste jogo de forças. Dás golpes certeiros, constantes, pungentes.

Sempre com esse sorriso na cara.

Fecho os olhos para esquivar-me desse canto da boca que ri. Tento erguer o meu escudo, dar um passo para trás. Ganho coragem e respondo ao teu ataque. Caminho determinada na tua direção e ergo a espada bem alta.

As nossas forças cruzam-se como num braço de ferro sem fim.

Resisto a todos os teus ataques, ripostas a cada movimento meu. Pões toda a tua fúria na tua força e eu ponho o coração na minha estratégia. Caio ao chão, perco os sentido desta dor. Dás-me a mão e ajudas-me a levantar.

As palavras que trocamos são como este jogo: suaves e mornas passam a afiadas e letais. Sacudimos o pó das quedas, investimos sem cessar, nas pausas silenciosas repomos o fôlego, falha-nos a coragem e transbordamos de medos.

Deixamos cair o escudo que mostram as feridas profundas da batalha. Não há vencedores neste duelo. Caminhamos na mesma estrada para nunca nos cruzarmos.

By Marta

Este é um espaço onde se cruzam pensamentos, línguas, histórias deste mundo e dos que criamos. Um blog e portefólio pessoal, onde o universo de cada um de nós é atravessado por uma linha transversal de emoções, ideias e sonhos. // // A place where thoughts, languages, real and imaginary stories cross paths. A blog and portfolio where our universes meet though transversal emotions, ideas, and dreams.

Leave a comment

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: